Início Colunas OPINIÃO: O desafio dos 50+ diante da inovação

OPINIÃO: O desafio dos 50+ diante da inovação

267
0

Pensava naquele instante, em agosto de 1983, 0que o ingresso no curso de Ciências Biológicas (sim, eu passei no vestibular) seria definidor da minha trajetória e, lá em 1984, eu pensava em ser professor. Só que por meados do ano seguinte passei a entender que a minha vocação era outra. Queria fazer Comunicação Social. Novo vestibular e fui para o curso de Jornalismo. Pelo conceito da época, teria jogado fora dois anos da minha vida. Hoje, felizmente, a visão é outra.

O jornal O Estado de São Paulo trouxe no domingo, 20, uma reportagem falando sobre o futuro do trabalho, tema que já tratei aqui no Blog e uma das minhas maiores preocupações hoje em dia. O título da matéria já diz muito: Experiência valerá mais que formação na próxima década. O texto é produzido em cima de um trabalho da Escola de Carreiras da USP e, acredite, o texto acadêmico fala apenas em carreira e não cita nunca a palavra profissão.

Isto me fez lembrar do amigo Paulo Renato Ardenghi, advogado de formação e hoje um dos líderes da inovação em Porto Alegre. Mais do que suas boas notas na Faculdade de Direito, o que hoje lhe abre as portas é sua experiência como empreendedor do Cozinhe.Me e seu trabalho de transformação do setor público como Diretor de Inovação da Prefeitura de Porto Alegre. O que conta é a carreira.

Questiono-me como eu, jornalista de formação e com Master em Administração de Empresas de Comunicação, me posiciono, aos 53 anos, diante da revolução em andamento com IA, Big Data, IoT, etc… “Os novos profissionais têm de aprender sempre. Tecnologias abrem novos espaços de trabalho e tornam irreais outros. Mesmo um profissional de TI já não vai mais poder se preparar para ser especialista em apenas uma linguagem de dados. Ele terá de estar atento às novidades”, disse ao Estadão a professora Tânia Casado, diretora da ECar da USP.

Se “aprender sempre” é o desafio para os novos, o desafio para nossa geração é readequar o conhecimento. Ousar mudar de vida e de planos diante das novas oportunidades. Usar a maturidade a serviço de uma sociedade onde a tecnologia avance, mas que mantenha sempre o foco nas pessoas. O novo mundo digital só se justifica se conseguirmos fazer com que seus benefícios sejam compartilhados por todos que entendam a velocidade da mudança no século que estamos vivendo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui