Diga não à Instituição Manassés

Instituição Manassés: diga não a essa ideia

Como se não bastasse nosso maravilhoso sistema de transporte público ser constantemente invadido por pirralhos vendendo doces e mandolates sob a desculpa de que “sei que estou sendo chato, mas mais chato ainda seria se eu estivesse certamente matando ou certamente roubando”, agora os ônibus da grande Porto Alegre estão sendo invadidos por um novo tipo de golpe: a Instituição Manassés.

Para quem não sabe, a Instituição Manassés é uma organização de cunho evangélico que tem a nobre missão de recuperar dependentes químicos. A ideia é boa, mas a forma que eles utilizam para captar recursos é totalmente equivocada e antiética, repleta de chantagem emocional e falácias lógicas. Vou exemplificar com a última vez que aconteceu comigo.

Diga não à Instituição Manassés

Você está desconfortavelmente sentado em seu assento no ônibus padrão Fifa (só que não) sem ar condicionado, parado há meia hora no trânsito, cheio de gente em pé a sua volta. De repente, entra um jovem com uma mochila vestindo uma camiseta da referida instituição. Ele ou paga a passagem ou passa direto e logo trata de se apresentar:

– Bom dia/tarde pessoal! Meu nome é Roberclédison (nome fictício) e estou aqui para divulgar o trabalho da Instituição Manassés. Vou passar nos bancos e deixar um informativo com vocês.

Roberclédison, então, passa em todos os bancos, oferecendo a cada passageiro um pequeno kit, o qual geralmente contém um folheto informativo e alguns objetos de pequeno valor, como chaveiros ou canetas. Retornando ao seu lugar de origem, Rober, para os íntimos, explica que a Instituição Manassés é uma organização que recupera dependentes químicos. Revelando-se ele próprio um ex-usuário de drogas, ele explica que a instituição leva o paciente para fora do seu estado (unidade federativa) de origem, a fim de afastá-lo do convívio dos traficantes e o submete a um tratamento que dura, em média, nove meses. Após esse parto, ele diz que a instituição não recebe apoio algum do governo, cita alguns versos bíblicos e revela que o kit oferecido tem um custo de R$ 2,50 a R$ 5,00!

Olha o golpe aí gente!

Trata-se de uma estratégia de marketing perfeita! Em um primeiro momento, o enviado da instituição se utiliza da falácia lógica argumentum ad passiones para sensibilizar os passageiros e, com isso, os induz a “contribuir” com a nobre causa. Em uma das ocasiões, eu já presenciei o “missionário” dizer que o kit custava uns 5 reais e que, quem não o tinha aceito, estava convidado a doar R$ 2,00.

Não bastasse o fato de os “missionários” da Manassés estarem cometendo o crime de falsidade ideológica e de estelionato ao fornecer um material promocional ao passageiro sem lhe informar do verdadeiro custo do mesmo, em muitas ocasiões eles cometem a falácia lógica Argumentum ad baculum, como da última em que tive o desprazer de encontrá-los, na qual o cara, ao ser criticado por alguns passageiros, soltou a pérola “é muito fácil falar mal de alguém que tem Jesus no peito, mas será que vocês falariam mal de mim há alguns meses, quando eu era viciado em crack?”. Dá pra ver aí a eficácia do tratamento dessa instituição.

A reclamação de que a Manassés não recebe quaisquer auxílios governamentais também não se justifica, visto que nosso Estado é laico e não tem obrigação de auxiliar empresas e organizações privadas.

Por fim, quero deixar claro que, embora a intenção da Manassés seja uma das mais nobres possível, a forma com a qual ela escolheu angariar fundos é totalmente equivocada e antiética, pois induz o passageiro ao erro através de apelos emocionais. Em um nível mais profundo ainda, ela nada mais faz do que substituir o vício das drogas pela religião, mantendo a mente do ex-viciado ocupada, trocando seis por meia dúzia.

Se você tiver a infelicidade de encontrar uma dessas pessoas no ônibus, não aceite seu “presente” e ajude alguma outra instituição de sua escolha que se valha de práticas éticas para se sustentar.

  • André Machado

    Professor de Matemática formado pela UFRGS e entusiasta de tecnologia.

107 thoughts on “Instituição Manassés: diga não a essa ideia

  1. Resumindo em uma única palavra: PICARETAGEM.

    Isso só funciona porque há otários que compram essas coisas. Enquanto houver demanda, o produto estará disponível. Se juntasse meia duzia de pessoas e desse uma surra nesses caras o transporte publico seria um lugar mais tranquilo.

    1. kk que merda vc teria que ter muita coragen de levantar essa sua bunda grande do banco e agredir
      alguem aposto que antes de vc começar vc ja estaria no chao de tanto apanhar
      eles sao ex usuarios apenas nao tontos

    2. CONCORDO EM GÊNERO, NÚMERO E GRAU. O trabalho honesto enriquece a alma. MANDA ESSA TURMA PEGAR NO CABO DA ENXADA OU CORTAR GRAMA. DUVIDO QUE SOBRE TEMPO PARA SE DROGAR. É UMA FÁBRICA DE VAGAIS. TENHAM UM BOM DIA. (trabalhando c/ honestidade).

    3. Ola tive o mesmo problema com um dos missionários, eu não peguei o kit fiquei de cabeça baixa, e ele começou a disparar indiretas, e quando olhei pra ele, ele se virou. Perguntei se erra indireta e ele me chamou pra descer para resolver lá fora, e se ele estivesse com uma arma eu ficaria quieto.
      Perguntei pra ele: então é esse o trabalho que vcs fazem? ameaçando as pessoas. e ele começou a falar em Deus. mas mostrou sua incapacidade de lidar com o publico.
      Esse ocorrido foi em Campinas sp.

    4. Não seja tão grosseiro se VC olhasse com um olhar mais carinhoso humano iria percebe que é um trabalho digno pois é um incentivo pra eles e nós deveríamos fazer a nossa parte pois existem muitas famílias que não tem condições de pagar um tratamento pra um dependente químico então a instituição Manassés é uma esperança oferecida Quem compra NAO é otário.otários são as pessoas egoistas que não vê o lado positivo que a em um trabalho desse Tem que procurar se informar jogar fora tanta alienação.

    5. uma instituição como essa só faz isso porque o estado se omite.Essa é uma boa razão de tirar os jovens das drogas, e recuperá-los, não é tarefa fácil,agora querer bater como esse rapaz falou aí tem um montão pra falar mal e condenar,mais contribuir para ajudar um vida são poucos.

      1. Verdade pois a droga apresentar aprisiona, a pessoa e que não batem condições, de pagar pois tem moradias, alimentação,e ao contrário ndos comentários recuperação ndenusuario de drogas e obrigação do estado sim, entrar e s deveriam se envolver

    6. Nossa já colaborei com a instituição, e não sou tolo e acéfalo, para acreditar em qualquer coisa que me falam, já busquei informação sobre esta instituição e pena que não exista mais assim como esta, agora quanto ao que o amigo colocou aqui, só pode ser intencional, para evitar um trabalho DIGNO.

    7. Cara sou um ex dependente químico e passei pela Manassés ela é uma casa que ajuda Sim as pessoas sem ajuda nenhuma de governo ou qualquer outro tipo apenas pela venda dos kits é u.a instituição seria.vc fala isso porque não deve ter um dependente químico na sua família ae vc ia ver como é ruim.vc prefere um ladrão no ônibus levando tudo oque vc tem conquistado com suor, ou ver um Manassés falando sobre a mudança de vida que ele conseguiu com o projeto. Pare e pense antes de falar ou escrever algo

      1. Concordo.Não entendi o por que isso o incomodou tanto,vejo que ele esta incomodado com a Instituição. Contribui com a Instituição, e outras que possui outras crenças. Se o caso é religioso,acredito que a Religião é um dos ”freio de consciência moral” da humanidade,para aqueles que são sérios.Sou profissional da saúde. E acredito que cada um escolhe seus caminhos. Mas estamos presos a elas.

  2. “visto que nosso Estado é laico e não tem obrigação de auxiliar empresas e organizações privadas”. Tentando entender essa frase e o encadeamento lógico do texto como um todo.

    1. Vc fala essas coisas porque não tem noção do quanto é difícil conviver e tentar salvar alguém das drogas VC deveria antes de falar e fazer criticas entender o trabalho deles fazer um estudo de campo se aprimorar em relação ao assunto.pra não sair por aí falando besteiras, VC já ligou pra uma clínica particular pra usuários de drogas pra ouvir como eles tratam a causa, os preços o que eles falam o quanto e como cobram?? Vc já conviveu com um usuário de drogas?? Vc já foi na instituição Manassés ?? Vc já teve oportunidade de conversa com uma família que vive esse drama na pele?? Faça isso pra depois tirar suas conclusões

  3. Já presenciei algumas vezes esses rapazes . Não acho que seja picaretagem. Todo mundo, na maioria vezes que contribui, e por ter se sensibilizado com alguma situaçao. Talvez eles realmente devessem encontrar um meio melhor de conseguir verba, Mas, ….
    De tudo que foi dito, apenas uma me incomodou profundamente: o Sr dizer que “ser viciado em drogas e estar totalmente envolvido com uma religião e a mesma coisa.” Invalidou todos os seus argumentos anteriores. Me parece apenas alguem criticando alguma religião porque não gosta…simples.

    1. Muito bom o trabalho realizado pela Manassés e graças a Deus as pessoas q compram is kits pois nos família nunca conseguiríamos pagar por todo tratamento ( pra família é gratuito)

  4. Acredito que você, André, enquanto provável professor de ciências exatas (reacionário e viciado em problemas), deve ter cuidado com o que diz.

    Apostaria que essas pérolas que acabei de ler aqui são objetos de comentário em sua sala de aula. Sinto por seus “alunos”.

    Por professores como você, que consomem tempo para desconstruir organizações progressistas, nossos jovens e nossa educação é uma tristeza (:

    Paz.

  5. nossa foi a pior merda que eu já li
    vc não fas ideia do que diz aposto que nunca conviveu com um viciado em drogas, mas cuidado rapaz pq quem gospe para cima cai na testa
    um dia vc vai se dar conta que antes de vc jugar é preciso vc viver..
    pega essa sua boca grande e fala isso para um ex viciado ou melhor quando vc estiver no ônibus levanta e diz pra todo mundo oque vc disse aqui. aff

      1. Meu comentário está de acordo com o sr. ANDRÉ. TALVEZ TENHA RESPONDIDO NA PÁG. ERRADA. CONFIRMO MINHA INDIGNAÇÃO. aconselho trabalho duro, para não haver tempo de cheirar.

        1. Esse pessoal que ta enchendo a boca pra falar realmente não conhece como funciona. Eles trabalham de forma coletiva, não é apenas vendendo caneta no onibus. E mesmo assim, é um trabalho honesto, pois eles vendem essas canetas que foram doadas para esse fim.
          Nossa, eu fico embasbacada de ver que vcs estão reclamando tanto só pq se incomodam com o cara tentando vender uma caneta por 5 min no onibus. Existe muita gente mesquinha no mundo, por isso ta essa bosta.

        2. ATÉ PARECE, QUE SE ACHA TRABALHO NESSE PAIS? E QUANTOS TRABALHADORES, SERÃO PRECISO? QUANTAS INCHADAS QUANTOS QUINTAIS? QUEM VAI? OS VICIADOS EM TRATAMENTOS? DESUMANOS , INCESSÍVEIS VAZIOS DE AMOR E PIEDADE EU, TENHO O DINHEIRO, EU TENHO O AMOR , E NINGUÉM VAI ME DIZER. OQUE FAZER COM ELES. VAI CUIADAR DA TUA VIDA SATÂNISTA!! NO MUNDO DE TANTA DOR, VEM JOGAR PEDRA EM QUEM FAZ O BEM?

  6. Pelo jeito, os autores dos dois últimos comentários são defensores da tal instituição.
    Eu me sinto incomodado com a visita deles nos ônibus de nossa capital, por isso me nego a comprar qualquer coisa que eles vendam! Creio que o autor deste texto também deva achar, mas eu acho os discursos desses indivíduos muito “manjados”, que certamente não me sensibilizam. Prefiro ficar escutando meu rádio e músicas em MP3 no fone de ouvido.

    1. Exatamente.

      Talvez eles até estejam fazendo um trabalho louvável e eficiente na recuperação dos viciados, mas a maneira como eles encontraram para arrecadar fundos, além de ser totalmente anti-ética, baseia-se em pseudopsicologia barata. Por isso, não apóio eles.

        1. Se me pedirem ajuda, faço questão de ajudar. Tenho na garagem um enxada quase nova para capinar minha roça. pago bem. O trabalho enobrece o ser humano.

          1. Entao aproveita ela e da uma trabalhada, acho que voce precisa ao menos de humildade e um pouco de olhar para o ser humano. Alguém em abstinencia nao se recupera com tanta facilidade nao , precisa muito mais e embora seja boa a ideia , acho que s viciados precisam muito mais do que só umas horas andando na rua pedindo dinheiro e vendendo canetas. Eu sempre ajudo essa instituição , mas na esperança de que façam mais do que só venderem as canetas .

          2. Acho que qualquer cidadao que se acha incomodado ,e muito simples ,procure saber o endereço e faça uma visita ao local , e constate se e picaretagem isso.
            criticar sem conhecer o trabalho e facil, quando se faz a obra , sempre aparece mil pondo defeitos , mais niguem sabe do começo do trabalho.
            então va lá , e me diz depois

            Se capinar fazer serviços pesados recuperasse um viciado , e pouco acho esse vicio de crack um doença , isso e um cancer para sociedade e vem meia duzia de palhaço querendo aparecer falando besterias sem fazer amor para a propria familia

      1. Vá conhecer a fundo o trabalho deles faça um estudo de campo pra VC entender o que significa esse trabalho antes de fazer críticas não se prenda nessa alienação, pois tem milhares de famílias que sabe profundamente sobre esse trabalho que não deveria se chamar Manassés e sim porta pra esperança,todos nos deveríamos fazer a nossa parte pois quem compra os kits incentiva aquelas pessoas a vencer a continuar a luta pelo lado diferente honesto devemos nos impor no lugar das pessoas antes de criticar

        1. É uma quadrilha,passei por lá em Curitiba só visa Dinheiro nada mais por eu ter falado que não venderia nada disso simplesmente me jogaram na rua e mandaram eu me virar mais graças adeus conseguir vim para minha casa em SP hoje estou bem livre das drogas mais por minha força de vontade e ajuda de deus

          1. pra voce ver a instituiçao manasses ate quando manda a pessoa embora ajuda amesma a tirala das drogas voce mesmo e um exemplo disso meu amigo tem que ser visto pra ser lembrado fique na paz

  7. Aqui onde moro,a cidade está cheia deles.Dua vezes o mesmo vendedor,após anunciar a que veio e vender o kit,começa a insultar passageiros.A primeira,ele criticou o motorista por faze-lo pagar a passagem,chamou os passageiros de nariz empinados,orgulhosos e craqueiros.depois de vender,falando baixo,claro,resmungando.Na outra vez,a senhora não pegou o kit e ele a acusou de te-lo roubado.Eles não tem mesmo preparação nenhuma,são arrogantes,mal educados e se protegem atrás do evangelho,usam o nome de Jesus em vão!
    A causa é nobre,mas está sendo feita de maneira errada. Ah! Tenho um recuperado na família,graças à Deus,hoje ele é pastor,então sei o que estou falando.

    1. Que legal talvez ao invés de critica los porque não oramos por eles .de qualquer forma eu os admiro pela coragem de se expor pois tenho certeza q não e fácil pra eles e nem pra ninguém e a atitude de muitos pode ser o fim de um desses jovens …pode acontecer desse desistir de tentar levar uma vida digna e entrar no ônibus não oferecendo um material simples mas uma arma e não só tirar o seu dinheiro mas a sua vida também …pense nisso!

  8. Pobre autor da reportagem. Antes de criticar, porque vc não faz uma visita a esta instituição e veja como funciona. Criticar é muito fácil, apresentar solução é difícil, todos nós sabemos. A droga hoje está mais para uma epidemia, cada dia aumenta o número de usuários. Na minha família não tem nenhum usuário, mas conheço pessoas próximas nesta situação, é muito sofrimento para a família desses rapazes viciados. Em Belo Horizonte, eles também oferecem aos passageiros os mesmos produtos, ninguém é forçado a comprar, quem compra é porque sente a vontade de ajudar, inclusive eles pedem para quem quiser, façam uma visita à instituição. Vc está criticando porque, provavelmente, não tem parentes viciados(seja filho, irmão, etc). Se um dia sentir na pele, penso que sua opinião poderá mudar, inclusive, depois de muito sofrimento, até mesmo procurar esta instituição para pedir ajuda. Pense bem.

    1. Segundo o autor Denis Moreira, em sua obra A Grande transição da terra – o sentido de urgência –

      “(…) o choque nos acordará de nossa ilusão (matrix), nos trará à realidade e a verdade nos libertará, como predisse Jesus.
      Eu também estou tentando me libertar do meu mundinho.
      Portanto, sei como é difícil.

      Assim como sei que é o melhor caminho.

      Esse processo de libertação passa necessariamente pela mudança de nossa visão de mundo. As crenças impregnam nossa visão de mundo. Só mudando essas crenças mudaremos nossa visão de mundo. Este é o caminho mais fácil para podermos mudar valores e compirtamentos. O outro caminho, mais curto e abrupto, é o choque da dor e do sofrimento. Muitos só mudam assim, Infelizmente, é o caminho pelo qual a maioria opta. Mas há o caminho do amor, da conscientização. É nele que podemos travar o bom combate mental. (…)” pag 128

    2. concordo com tudo que vc disse e mais um pouco ,els estão ali pedindo e não obrigando dá quem quer e na grande maioria quem se sensibiliza e porque tem na familia alguem que sofre da mesma doença,isso já aconteceu comigo varias vezes quando estou na condução e isso não me encomoda em nada e graças a DEUS não tenho nenhum dependente quimico na familia perca seu tempo com algo que vá te acrescentar e agradeça a DEUS por não ter problema algum

    3. BOM DIA. EU ACREDITO QUE UM TRABALHO FARIA BEM A ESSES JOVENS QUE SE EXPÕEM AO RIDÍCULO. NÃO CONCORDO COM O MODO DELES USAREM O NOME DE “JESUS” ETC. PARA ANGARIAR FUNDOS PARA INSTITUIÇÕES DITAS RELIGIOSAS EM BENEFÍCIO DOS SEUS IDEALIZADORES. COMO DIRIA “BORIS” ISSO É UMA VERGONHA!!!

    4. Ou posso falar aquilo é uma empresa e não recupera ninguém passei por lá em Curitiba só porque eu não conseguia vender me jogaram na rua graças a deus hoje estou livre das drogas por te fé em deus é força de vontade

  9. Entendo o seguinte:

    Segundo o paraense, AGU, Denis Moreira, em sua obra A grande Transição da Terra – o sentido de urgência –

    “vivemos presos – como prisioneiros inconscientes de uma Matrix real – em nossos mundinhos pessoais, quase sempre despreocupados com os outros mundinhos e com o mundo real coletivo. Qual o problema? Esse estilo de vida é dinamizado por um sistema que alimenta desejos insaciáveis e desnecessários; anula nossa capacidade crítica por meio da alienação pela futilidade; torna-nos insensíveis e enfraquece nosso senso de responsabilidades socioambietais; dissolve virtudes e incita comportamentos doentios; cultua a violência, a vingança e obstrui o amor ao próximo. Esse sistema produz uma cultura que nos faz ver apenas o nosso pequeno universo. Para tudo mais ficamos cegos e tão cegos que nos tornamos indiferentes e tão indiferentes que nos tornamos incapazes de perceber a nossa própria cegueira e indiferença. tudo que não nos interessa torna-se invisível.” (pag.126/127)

    Lutemos contra essa Matrix e nos manifestemos em favor da solidariedade.

    Façamos, cada um de nós, a nossa parte. Se vc acha que a única coisa que pode fazer pra resolver é achar critérios técnicos reprováveis, então vá em frente. Eu prefiro contribuir, independente da beleza ou não do ato que o trabalhador usa para conseguir seu intento (contribuições).

    Faça a sua parte e deixe que eles façam a deles.

  10. Outra citação brilhante desse autor, da mesma obra é :
    “Que os dias difíceis não nos surpreendam como escravos do ego, chumbados de apegos, na insana ociosidade, deslumbradamente abrigados em castelos de areia.”

  11. Gostei do seu texto, analisando os recursos argumentativos que eles usam. Aqui no Maranhåo eles também apelam para a mãezinha que está sofrendo por ter seu filho no mundo das drogas. Não tem uma vez que essa senhora não seja citada!! E ainda são mal educados, certa vez um deles me acordou só porque eu tinha que segurar o bendito kit. Sem contar as vezes que eles já apareceram “usados” enquanto tentavam convencer de sua recuperação – mas essa é outra questão, sabemos que recaídas acontecem. Enfim, sempre acho que tem muitos pontos suspeitos por trás dessa instituição, mas é só eu comentar com alguém que logo me tacam pedras…

  12. Entendo sua reclamação, também me sentia incomodado até o dia que minha mãe pediu me pediu ajuda pois meu irmão era viciado comprei o kit e um certo dia meu irmão liga de madrugada querendo ajuda pra onde levei? Para o odiado Manassés pois minha familia nao tem condição de paga quinhentos reais mensal para o tratamento, hoje ele faz o mesmo trabalho que eu não suportava há três meses que ele ta limpo minha mãe se encontra muito feliz e ele aceitou a religião torço pra ele não ter uma recaída e não eu não sou evangélico não gosto daquelas pessoas radicais, mas essa instituição esta ajudando meu irmão então me sentir na obrigação de contar para vocês.

  13. Por que os jovens nunca aceitam que droga vicia e não evitam os primeiros contatos com essa malvada? Há anos que todos sabem os males desses vício. Por que as pessoas têm de estar sempre de muletas da fé para encarar o mundo como ele é? Se a criatura rejeitasse a porcaria da droga antes de prová-la, não estaria se humilhando nos ônibus da vida, vendendo bugingangas para prestar contas do apurado sabe Deus a quem. Muito menos estaria se alienando no fanatismo religioso evangélico, que traz felicidade aparente, igualzinho às drogas. E o ex-viciado fica na obrigação de vigiar sempre, todo santo dia e abençoada hora, para não recair no pecado, que para mim é apenas doença, sem conotação de moral religiosa. E deixa de viver outras coisas boas da vida.

  14. olha sr André com certeza vc e um não tem nenhum dependente químico em sua família .De graça a Deus mas não fale duque não fale duque não conhece. A Instituição Manasses e sim uma Obra de Deus não recebe ajuda de nenhum folgado como o sr mas de Deus e do esforço daqueles que chegam pedindo socorro ;Não fale de quem só faz o bem.respeite o trabalho dos outros.Quemvos fala é uma mãe agradecida a Deus e á Instituição Manasses.

  15. eu passei por essa instituição,onde o governo n ajuda,e milhões de jovens morrendo por causa da maldita droga,eu me recuperei graças ao amor q DEUS tem por mim,e graças a essa instituição q me ajudou muito,devo muito aos diretores e aos obreiros,hoje faz 2 anos longe das drogas e do álcool,onde estou concluindo meus estudos e minha família foi restituída,falo pra quem é contra esse projeto não sabe oque é uma família sofrer com isso,o BRASIL dessa pessoa é o segundo no ranque mundial onde tem mais usuários de droga,e q DEUS te abnsoe q n chegue a sua tenda,como chegou na minha casa,e continue apoiando o governo e o sistema que pensa e age como vc…..”Onde abundou o pecado,superabundou a graça”Romanos 5:20

  16. Não há nada de incômodo na forma como os ex-dependentes químicos trabalham para contribuir com a instituição Manassés e para divulgar que é possível a recuperação. Para dispensar tempo fazendo essas críticas, fica a impressão que vocês têm ligação com o tráfico de drogas, pois quem é a favor da recuperação de dependentes químicos jamais fariam essas críticas. Com tantos males sociais, quem perde para fazer essas críticas ou é do mal ou tem mania de criticar tudo.

  17. Cara, vc reclama de tudo. Eles não te obrigam a pegar e nem a dar o dinheiro, se não quer, blz. E queria ver se fosse um parente teu o viciado, o teu pai por exemplo. Quero ver se ia recamar também.

  18. A pior coisa é a falta de respeito com os passageiros: ficam falando (gritando) de deus, que quem não ajuda tá ajudando o diabo, falando de besteira evangélica, como se estivessem dentro de sua igreja.

    Sem falar que é proibido vendedores ambulantes em minha cidade (lei municipal e estadual, com vários avisos em todos os ônibus) e eles ignoram, ainda atrapalhando os passageiros por ficarem andando pra lá e pra cá.

    Não importa que não sou obrigado a comprar o kit – isso é óbvio. O ponto é que para um convívio em sociedade sem conflitos devem haver regras e bom senso, que eles não seguem e não tem.

  19. Infelizmente vc disse coisas horríveis, por não conviver com usuário ou nem mesmo conhecer um sai por ai espelhando mentiras. Meu irmão é dependente químico e minha família sabe o que sofre. Só acho que se vc acredita tanto ser uma nobre ação deveria ajudar da forma ética que tanto diz. Vai lá, faz melhor do que eles, ajude vc um dependente químico. Que Deus te abençoe, e espero que vc não passe tão cedo por isso.

  20. Assim respeito o comentario de cada um de vcs mais a respeito da manasses eu so tenho motivos de agradeçer primeiramente a deus e a manAsses que foi uma porta que deus abriu na minha vida por que quem sabe mesmo a dor e quem tem um usuario de drogas na familia quem e uma mae na qual sofre entao e muito facil apontar criticar do que ajudar igual alguns disseram em vez de murmurar reclamar apontar pede a deus para abençoar e da uma direçao na vontade de deus quando nao mim agrado de alguma coisa eu falo com deus pesso a direçao dele por que e deus quem sabe de todas as coisas se vc acha que essa casa de recuperAçao e uma picaretagem eu respeito sua opiniao por que eu nao sou ninguem para acusar e julgar por que essa parte cabe a deus faça o seguinte ajude sao eles que vao se ver com deus pelo menos sua parte vc vai ta com a conciencia limpa que ajudou sao eles que vao se ver com deus se ta certo ou errado mais quero te falar que foi a manasses que mim ensinou novamente a ser um homem de verdade e recuperar minha moral como um cidadao de bem fui morador de rua comi comida do lixo cheguei no fundo do posso precisei passar por tudo isso para reconheçer jesus na minha vida entao vc ta esperando o que irmao aceita jesus tbm e tira essa sua prepotencia essa soberba de vc seja manso humilde e peça sabedoria a deus saiba que maldito e vc por acreditar na sua força na sua ignorancia por que vc sozim nao e nada mais deus sem vc e deus

  21. Olha so se vc realmente quer saber algo tem alguma duvida da manasses fale comigo06792412647 quero deixar claro que nao faço mais parte da manasses mais mim sinto no dever de ajudar meu proximo eu consegui terminar meu tratamento em campo grande matogrosso do sul sou de goiania hoje permaneço em campo grande casado com uma linda mulher de deus e em breve tbm serei pai so tenho motivos de agradeçer a deus hoje minha mae chora mais so de alegria por que deus mim fez esqueçer todo meu sofrimento

  22. Seu texto pode até estar correto, vendo que em quase todas cidades há alguma lei que proíba comércio ambulante em transportes públicos (embora eu ache que a prática deveria ser na verdade regulamentada, buscando tirar crianças e adolescentes do trabalho, cadastrar os vendedores aptos e fiscalizar os produtos vendidos) e que isso realmente, às vezes, incomoda, principalmente nos dias que estamos mais cansados. Que realmente por vivermos em um país laico o governo não deve financiar empresas religiosas (embora haja pessoas que dizem que o governo ajuda a igreja católica, e não lembram o valor histórico de muitas igrejas e construções de época), devemos lembrar que em muitas clínicas de tratamento eles até usam de formas de tratamento a intervenção de algum medicamento (droga do mesmo jeito) que substitua ou satisfaça aquela pessoa. Realmente algumas pessoas não parecem serem ex-drogadas, mas já vi muitos e muitos desses vendedores que era totalmente perceptivo que era envolvido com algo de verdade, falo com certa convicção pois sou de um bairro do Recife que você vê muitas pessoas dependentes e seus comportamentos. Uma causa como essa deles (se realmente for verdade, não estou aqui para julgar) é até invejável, pois apenas com religião conseguem obter sucesso em seus tratamentos. Não vejo problema nenhum em substituir a droga por religião, acho que para algumas pessoas é fácil falar pois não possuem alguém na família envolvida com drogas, onde todos já tentaram de todas as formas salvar essa pessoa e não conseguem, e vem uma instituição assim, ou até, como muitas pessoas dão testemunhos de suas vidas, uma igreja e simplesmente essa pessoa vira religioso e deixa esse mundo. Não há dinheiro no mundo que pague a felicidade dessa família que se vê livre das drogas (porque na minha opinião a droga não prejudica só a pessoa drogada, mas a família que passa por todos os problemas também) e vão sim ajudar esse ambiente que salvou a mesma. Achei muito injusto você ter comparado a religião com as drogas, vendo que, eu pelo menos, preferiria conviver com 200 pessoas religiosas alienadas do que com 1 drogado perdido para as drogas. E antes de me julgarem, sim eu acredito em Deus, porém não pertenço a nenhuma religião ou culto religioso, embora batizado na igreja católica, não sigo nenhuma doutrina. Acredito que ciência e religião não são extremos opostos e sim “amigos próximos” onde um auxilia o outro.

  23. Aqui em São Paulo, pelo menos no meu bairro, nenhum motorista está autorizado a deixar entrar um desses colaboradores da Instituição Manassés. Creio que já sabem da picaretagem deles… E quem aqui defende esses coitadinhos ao invés de vim reclamar do texto leva um desses filhos de Deus para casa! Simples assim.

  24. Não sei como funciona essa instituição, mas eu ajudo, vai de cada um. Quer ajudar ? Ajude. Não quer ? Não ajude, simples assim, você não é obrigado.. Meu tio era dependente químico e só Deus sabe o que eu e minha família passamos, sei muito bem o que é ver uma mãe chorando desesperada por causa de um filho que está no mundo das drogas, milhares de vezes minha mãe e minha tia foram dentro de boca de fumo, cheio de traficantes e usuários procurar meu tio, foram noites sem dormir, pensando onde ele estava.. Graças a Deus meu tio saiu do mundo das drogas. Foi muito difícil, quem nunca passou por isso, não sabe o quanto essa instituição pode ajudar, já presenciei uma senhora chorando dentro do ônibus e conversando com um rapaz do Manassés, ela disse que não tinha condições para pagar, mas ela queria ajuda, o rapaz deu o endereço pra ela, explicou como funcionava e tudo mais.. Não acho que eles estão ali só para mexer com o nosso emocional, eles sabem como é difícil, e porque não ajudar ?? As pessoas precisam de amor, de ajuda, e enquanto eu puder ajudar quem precisa, eu ajudarei !! Como disse anteriormente, vai de cada um, você ajuda se quiser !!

    1. Em vez de “ajudar” com dinheiro, deveriam era ajudar com um trabalho.
      Deixar a pessoa subir e descer de ônibus todo dia pra vender bugigangas, não é caridade.

  25. Visto no jornal http://pccomandoaguiadourada.blogspot.com.br/2013/06/dependentes-quimicos-denunciam.html

    A instituição que diz estar recuperando dependentes, teve expulsado 2 integrantes da quadrilha porque 1 não queria se acordar as 5 horas para vender, e outro por ter furtado 8 reais e consumido droga na cidade de Maceió, este dormiu na rua para não gerar desconfianças na casa de escravos Manassés.
    Final: Se a casa tivesse mesmo acordo público social ou com Jesus, pagaria a passagem de volta deles à cidade de origem. Devido a isto, deu caso de polícia. Não deveria uma casa de recuperação (de dinheiro) saber disto, que tratados podem recair?

    Geram desconfianças também houve 1 processo judicial do concorrente suplente Dep. Manassés da casa de recuperação de drogados do Pr Manassés contra o Dep. Isidório da casa de recuperação de drogados Dr. Jesus do Pr Isidório, ambos da Bahia. Se ambos estes pastores dizem-se serem pregadores da palavra de Jeová e Jesus, por que tanta disputa por dinheiro mamon alheiro? Além do gosto maçom nas igrejas do Pr. Manassés, isto é uma casa de Jesus?

  26. Eu já visitei a instituição, porque fui fazer um trabalho da faculdade. Ele passam por dois processos, o primeiro desintoxicação e o segundo é a reintegração social, onde eles saem para vender os kits. Eu discordo a parte da instituição ser totalmente religiosa, eles não tem nenhum apoio psicologico e nem de nenhum profissional da área de saúde. Como é que esses rapazes sabem que os jovens estão prontos?? Aqui em Salvador, já ocorreu o caso da dupla irem para baixo de um viaduto e comprar drogas. E aí? Eu não vou generalizar, mas a maioria aceitam o tratamento, e eles compram o que querem a partir desse dinheiro, o que eu acho errado. Não devemos pensar em ter pena, sei q a família e eles estão passando por um momento difícil, mas na vida nada é fácil. Há, se eles não conseguirem bater a meta da semana, não receberão nem 0,10. Como é que pode?? Isso pra mim é uma forma de escravidão, infelizmente.

  27. Ha, tem outra coisa que o coordenador da instituição disse. “O pastor Manassés não é rico, não, é sim MILIONÁRIO” Agora me digam, se tem necessidade desses jovens irem para a rua vender os kits??!

  28. Eles usam a mesma estratégia nas igrejas, através de intimadações babacas. Já tou no automático, quando eles entram no ônibus, já ligo o player do celular, ponho fone de ouvido e ouço qualquer coisa, tudo pra evitar ouvir esses enganadores espertinhos. Eles acham só pq andamos de ônibus, somo ignorantes e acreditamos em qualquer lórota.

  29. André ,
    seu texto é sem nexo e cheio de preconceitos. Ironiza o drama de pessoas carentes que passam pelo suplício do vicio das drogas. Ser pobre no Brasil já é uma desgraca. Com dependencia química então, é o inferno na terra. Dizer coisas do tipo : substitui o vício das drogas pelo da religião , o que é isso ? Quer dizer que você se arroga no direito de apontar o dedo e dizer o que é bom ou não para os demais.
    Eu não sou religioso , mas não posso ficar emitido juizos morais sobre as pessoas que abracaram esse caminho para suas vidas. Eu simplesmente não tenho o direito de condená-las , e ninguém tem. Isso é arrogancia !

  30. Sr.André, lamento pelo fato do Sr. ser alienado .Nota-se que o mesmo nunca conviveu com um dependente químico,e não sabe o quanto é triste e difícil para uma família ter uma pessoa assim.Eu sou mãe de um viciado e sofro muito com isso ,os meus outros dois filhos já não vão à minha casa com vergonha do irmão.Aqueles que condenam deveriam visitar as instituições antes de criticá-as.Não quer ajudar não ajude mas não condenem.Que Deus os abençoe e nunca deixe que o Sr venha aprecisar deles.

    1. Pode lamentar. Mas alguns dos comentários anteriores mostram a verdadeira intenção dos mantenedores dessa instituição. A senhora que a conhece pode indicar o nome e o número do registro do(s) psicólogo(s) ou psiquiatra(s) responsável(is) por cuidar dos dependentes químicos? Pode dar detalhes de como é realizado esse tratamento? Sinto muito, mas só mudar o dependente de estado, fazê-lo de escravo para ficar pedindo esmola no ônibus e ficar orando o dia todo não vai curá-lo de coisa alguma.

  31. Nunca fui na instituição, mas já vi muitos depoimentos de ex- usuários de drogas que se curaram através da ajuda da instituição. Fato é que qualquer instituição ou projeto, por mais nobre que seja, sempre vai ter um idiota que não conhece criticando ou alguém que conhece, mas não aceita as regras do lugar e por isso inventa história. Na minha cidade sempre tem e quando eles entram no ônibus faço a questão de ajudar. Se a instituição não for séria, com certeza as pessoas que andam nos ônibus da minha cidade são atores contratados, pois é impossível que pessoas que ainda dependam de drogas sejam gordos e fortes e cheios de vidas como as pessoas que vendem esses kits de nos ônibus apresentam. Sem contar que não são crianças, são adultos e que certamente não seriam obrigados a fazer uma coisa que não querem. Além disso lidam com muito dinheiro no decorrer do dia com as vendas das canetas e dinheiro que as pessoas doam nos ônibus, sendo a quantidade de dinheiro tão grande, teriam muitos casos de fugas da instituição, o que não ouvimos falar. Independente se a cura é feita através de fé ou medicamentos o importante é que tenha o resultado esperado, já que o governo, quem deveria dar assistência, prefere desviar dinheiro do que criar programas ou financiar instituições que tem o objetivo de ajudar.
    Uma coisa é o governo financiar igrejas com isenção de impostos ou eventos religiosos (o que não condiz com o que deveria ser um estado laico), outra coisa diferente é financiar um projeto ou instituição que tem como objetivo um bem comum, independente se a instituição tem princípios religiosos ou não.

  32. PERDOE ELES JESUS!

    ELES NÃO SABEM O QUE COMERAM E NÃO EXISTE CORAGEM NELES TAMBÉM.

    BOM, ALIAS, JESUS NÃO VEIO PARA ESSES… OS JUDEUS TAMBÉM O REJEITARAM”!

    MAS ELE VEIO PARA SALVAR OS PERDIDOS, CURAR OS DOENTES E FICAR MAIS PRÓXIMOS DESSES QUE “ERRAM”

    ATENCIOSAMENTE,
    ANDERSON

  33. Cara, vivenciei isso hoje.
    o rapaz foi um pouco repetitivo e cansativo, o que torna a situação meio chata.
    porém, tentei olhar isso de uma forma positiva.
    as drogas e o álcool são problemas seríssimos e negligenciados pela população e pelo governo, em geral.
    essas pessoas precisam de ajuda e contribuir com uns trocados não fará falta para alguns.
    oriente seu ódio para coisas mais relevantes, André.
    tem coisa muito pior acontecendo por aí e que vc poderia denunciar.

  34. Gostaria de saber se essa clínica trata bem os internados…pois meu filho vai se interna nela??? ser mãe de um dependente químico e muito difícil, ñ tenho condições de pagar uma e essa pelo q informa e de graça ”eles trabalham em coletivos” de certa forma ñ é tão de graça!!!

  35. Moro ao lado de uma casa da Instituição Manassés. Minha vida perdeu a tranquilida-de quando eles se instalaram ao meu lado, há em torno de 3 anos.
    Essa instituição adquiriu a casa do meu ex-vizinho e instalou, sei lá se é uma clínica, abrigo, ou outro nome adequado. Nessa casa passaram a conviver em torno de 20 homens, pelo visto drogados em recuperação. O grupo se renova a cada quatro ou cinco meses, quando saem uns e chegam outros.
    Os recém chegados ficam um período confinados na casa até, terem condições de irem para a rua oferecer seus produtos.
    Os que ficam confinados passam o dia ouvindo música, quase sempre em volume extremamente alto, ou vão para o pátio ou a piscina onde também ficam de brincadeira e gritarias.
    Antes das 05:00 horas da manhã, todos os ocupantes da casa fazem uma oração aos gritos e terminam em palmas, bastante altos, que acordam todos os moradores da minha casa.
    À noite, por volta das 20:00 horas todos fazem o que acredito ser um culto, onde can-tam e rezam em volume bastante alto. Sou obrigado a fechar as janelas e mesmo assim se ouve o barulho.
    Nos finais de semana e feriados, é feita novamente a barulheira na piscina e churras- queira, pouco se importando se incomodam ou não os vizinhos.
    Por diversas vezes falei com os responsáveis pela casa, como também com o filho do Pastor Manassés, fundador e responsável pela instituição. Reclamei do barulho, dizendo inclusive que Deus não é surdo e que eles poderiam rezar e cantar mais baixo que Deus os ouviria.
    Disse também que se quiserem reintroduzir os viciados na sociedade, deveriam ensi- nar a eles o senso de limite; pois a liberdade de uns termina onde começa o direito dosoutros. Ou seja, respeitar o próximo, obedecer as leis, etc.
    Minhas reclamações não surtiram efeito por muito tempo. A cada chegada de um no- vo grupo, recomeça o problema. Quando troca o responsável pela casa, é a mesma coisa.
    Disse também a eles que se a terapia usada inclui gritos ou outros ruídos para “descarregar” ou tirar o diabo do corpo, eles deveriam ter escolhido outro lugar para se esta-belecer. Um lugar ermo, longe de vizinhos, para não incomodá-los.

    Bem, senhores. Não quero entrar no mérito do resultado do trabalho deles; mas se não sabem administrar a sua própria casa e, põem na rua pessoas que não sabem conviver com os vizinhos, todo o tipo de problemas pode ocorrer nos ônibus ou em outros lugares frequentados por estas pessoas.

    Infelizmente minha experiência como vizinho dessa instituição não é boa e não pois recomendo a ninguém.

    1. Com você me solidarizo e peço desculpas em nome dos cristãos. Infelizmente não há pessoas preparadas, mas voluntários nesse tipo de trabalho e essas são as consequências. PS.: Não sou cristão, mas tento ser.

  36. Desculpe pela falta de paciência. Não tive tempo de ler todos os comentários. Lembro quando a Hare-Krishna fazia a mesma coisa há anos atrás, vendendo incensos e livretos em ônibus, porém com resultados opostos. Enquanto na Hare se via lavagem cerebral, drogas e “hipie”ismo, no Instituto Manassés se vê recuperação e conscientização. Pode não ser perfeito, também não gosto de ter constrangimento em ônibus, mas foi o que eles conseguiram. Mas no lugar de você ficar criticando, gaste tempo fazendo alguma coisa de útil para o seu semelhante. Os erros virão, mas pelo menos você tentou. Pior é não tentar e ficar só criticando os outros.

  37. Acho que qualquer cidadao que se acha incomodado ,e muito simples ,procure saber o endereço e faça uma visita ao local , e constate se e picaretagem isso.
    criticar sem conhecer o trabalho e facil, quando se faz a obra , sempre aparece mil pondo defeitos , mais niguem sabe do começo do trabalho.
    então va lá , e me diz depois

  38. Sugiro aos incomodados com com as atividades dessa instituição, que acessem o link abaixo, do Tribunal de Justiça de Alagoas, e vejam a Decisão Proferida no dia 10.10.2014 pelo Juiz Luciano Andrade de Souza da7ª Vara Cível da Capital – Foro de Maceió: “Determinar o imediato fechamento da ré, Instituição Social Manassés, CNPJ nº. 06.969.959/001-16, situada na Rua Mal. Arthur Alvin Câmara, nº. 115, CEP 57036-600, Maceió para que, no prazo de 30 (trinta) dias, contados a partir do escoamento do prazo previsto no item 1, corrija todas as irregularidades apontadas nos relatórios do CONED-AL (fls. 51/53 e 59/61) e da Secretaria Municipal de Saúde (fls. 95/99), sob pena de interdição definitiva; Impor ao representante legal da instituição ré multa no valor de R$ 1.000,00 (mil reais) por cada dia que a instituição permanecer aberta, após o cadastro dos pacientes pela SEPAZ, e/ou por cada novo paciente admitido, sendo ambas cumulativas. No mais, cite-se o réu, para, querendo, contestar a presente ação, no prazo de 15 (quinze) dias, sob pena de aplicação dos efeitos da revelia. Cientifique-se o Ministério Público. Publique-se. Intime-se. Maceió, 10 de outubro de 2014. Luciano Andrade de Souza Juiz de Direito”
    Link: http://www2.tjal.jus.br/cpopg/show.do?processo.codigo=01000HVGP0000&processo.foro=1
    ou procurem no site do Tribunal de Justiça de Alagoas – processos do 1º grau, indicando como nome da parte Instituição Social Manasses, que terão todos os detalhes desse processo para orientar eventuais reclamações na justiça.

    Procurem também o Ministério Público, levem seus argumentos e ou provoas e iniciem um processo.

  39. NOSSA NUNCA LI TANTA BABOSEIRA. O Manasses é uma instituição que já ajudou muitas pessoas, visto que o tratamento não cobra nada de quem precisa. Você deve ser uma pessoa muito mesquinha pra se incomodar com a simples presença de um cara no onibus que esta tentando melhorar de vida e TRABALHANDO, pois mesmo vendendo canetas e adesivos é um trabalho honesto que ajuda outros dependentes continuarem o tratamento. E compra apenas quem quer, os passageiros não são obrigados a comprar, aliás, ele não esta pedindo nada, ele esta VENDENDO um produto que foi doado para a instituição. Nojo de gente que só sabe criticar e não ajuda em nada! As drogas é um problema social que o governo ta pouco se fudendo, se nao existissem instituiçoes que fazem esse tipo de trabalho a situaçao estaria muito pior do que ja ta!
    P.S EU CAI NA RISADA A HORA QUE VC ACUSOU OS VENDEDORES DE “FALSIDADE IDEOLOGICA” POR USAR UM NOME FICTICIO. KAKKAKKA CE É BURRO????

  40. affsss ninguém sabe o que fala, deixa eles fazer o seu trabalho em paz,já ouviram aquele velho ditado: OS INCOMODADOS QUE SE MUDEM, então se vcs estão incomodados ou coloca o fone ou desse do busão gente para de reclama da vida dos outros e vamos cada um cuida da sua…tdo ZÉ PORVAAASSSS.

  41. Em Belo Horizonte é a mesma coisa. Os ônibus lotados e esses malandros extorquindo os passageiros. São sempre jovens e fortes o suficiente para trabalhar de verdade. Não venham defender e dizer que estão trabalhando. Se defendem, são do mesmo jeito. É o mal do brasileiro, se aproveitar da bondade e do medo alheio, haja visto o que acontece nas igrejas que esses malandros dizem que frequentam, que roubam dos fiéis ignorantes e cegos. E mais, se entraram no mundo das drogas que se fod….Usou porque quis. Sabe que só faz mal. E agora vem me pedir para ajudar! Entrou na merda sozinho e contrariando a família, saia sozinho malandro.

  42. Esses que se dizem missionários, angariando fundos para essa farsa de instituição, nada mais são que usuários de crack travestidos de bonzinhos samaritanos, depois que pegam a grana dos otários, vão usar drogas, já presenciei um desses em um ônibus, ele estava tao drogado que mau conseguia falar…enquanto tiver cavalo são jorge não anda a pé kkkkkk

  43. Um dependente químico que estava em recuperação na Instituição Manassés, localizada no bairro de Jatiúca, em Maceió, esteve, na tarde desta sexta-feira (14), no 6º DP para denunciar a instituição. O caso chamou a atenção da delegada Maria Aparecida, que havia registrado uma ocorrência contra a mesma instituição no dia anterior.

    De acordo com Maria Aparecida, os jovens relataram que no local não há acompanhamento médico e que, além de serem obrigados a vender canetas para manter a instituição, eles relatam que o tratamento é feito somente “através da fé”, sem nenhum acompanhamento médico.
    De acordo com a delegada, na quinta-feira (13), um jovem de 29 anos esteve na delegacia porque tinha sido expulso da instituição. Segundo Maria Aparecida, ele é pernambucano e estava há 20 dias na capital para fazer o tratamento. “Ele esteve aqui porque não tinha para onde ir. Estava com o braço machucado e não tinha condições de ficar sozinho nas ruas ou dentro de ônibus lotados para vender qualquer coisa. Ele tinha que estar de repouso”, afirma a delegada.
    Ainda segundo Maria Aparecida, no mesmo dia, os policiais estiveram na Instituição Manassés para saber o motivo que levou o dependente a estar sozinho nas ruas de Maceió. Após ser procurado pela polícia, um representante da instituição esteve na delegacia e pagou a passagem de volta do jovem até Pernambuco. “Ele se mostrou uma pessoa totalmente sem equilíbrio. Alguém que trabalha com pessoas não pode ser rude, pelo contrário, precisa acolher”, diz a delegada.
    Nesta sexta-feira (14) mais um caso envolvendo a mesma instituição deixou a delegada preocupada. Um jovem de 19 anos foi expulso porque voltou a usar drogas com o dinheiro das vendas das canetas. A reportagem do G1 esteve na delegacia e conversou com o jovem, que pediu para não ter a identidade revelada.
    Instituição Manessés trata dependentes químicos há 15 anos no Brasil (Foto: Michelle Farias/G1)
    Instituição Manessés trata dependentes químicos
    há 15 anos no Brasil (Foto: Michelle Farias/G1)
    O rapaz, que é da Paraíba e veio para Alagoas através da instituição para fazer o tratamento, disse que ele e a família assinaram um contrato para o início do tratamento. A família paga a passagem para o estado que há vagas para o tratamento e uma taxa no valor de R$ 400 para a manutenção dos primeiros 15 dias na instituição.
    “No início ele disse que minha mãe só pagaria a passagem. Depois eles começaram a pedir mais dinheiro para várias taxas. Desde que cheguei, só tive um tratamento com dentista. Eles colocam a gente nas ruas para vender e temos que bater metas. Preciso de mais ajuda para sair do vício”, diz o rapaz.
    Um representante da Manassés, que tem sede em outras 23 cidades brasileiras, esteve novamente na delegacia, mas não conseguiu resolver o problema. O impasse só foi solucionado quando o supervisor da instituição que fica no Recife, em Pernambuco, André Araújo, esteve na delegacia. Araújo ficou bastante nervoso quando a delegada perguntou porque o jovem de outro estado havia sido colocado na rua.
    “Ele é um vagabundo e já fez isso na semana passada. Nós demos uma segunda chance, ligamos para a família, mas ele não quis se recuperar. Ele gastou R$ 100 com drogas, esse dinheiro é da instituição. Vim disposto a resolver o problema e o que a senhora [delegada] quiser que eu faça, vou fazer”, frisou o supervisor.
    Porém, o rapaz rebateu as acusações e disse que a família não havia sido comunicada sobre o ocorrido. “Não teve nada disso. Assumi meu erro, mas foi a primeira vez. Usei droga, mas gastei apenas R$ 8. Preciso de ajuda e não posso ser tratado como um cachorro”, afirmou o jovem.
    Supervisor da Instituição Manessés, André Araújo (Foto: Michelle Farias/G1)
    Supervisor da Instituição Manessés, André Araújo.
    (Foto: Michelle Farias/G1)
    O supervisor propôs pagar a passagem para que o jovem pudesse retornar para a Paraíba, mas como só tinha vaga para o sábado (15), ele vai ficar em uma pousada.
    “Queria que ele ficasse na instituição, mas senti que o supervisor não queria, por isso ele vai ficar na pousada e depois seguirá para a sua casa”, diz a delegada.
    A delegada disse ainda que irá encaminhar o caso para o Ministério Público Estadual para que eles possam analisar a situação da instituição. “Quero que o MP tome uma providência, porque um jovem não pode ser colocado nas ruas, sem ter para onde ir”, diz.
    Para o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados de Alagoas (OAB/AL), Daniel Numes, diz que essa é uma situação constrangedora para a instituição. “Nesse caso ele não deu uma assistência mínima para que essa pessoa voltasse para casa. Se esse jovem não tivesse procurado a delegacia, ele estaria vagando nas ruas”, diz.
    saiba mais
    Creche filantrópica está interditada pela Vigilância Sanitária, em Goiânia
    Instituições acusam Prefeitura de Maceió de apropriação de recursos
    Entidades filantrópicas estão à míngua em Casimiro de Abreu, RJ
    Secretaria da Paz
    A reportagem do G1 entrou em contato com o superintendente de Promoção da Cultura de Paz de Alagoas, Adalberon Sá Júnior, para saber como funciona o tratamento de um dependente químico. Segundo ele, todas as instituições ligadas ao Estado, além do tratamento religioso, precisam dar acompanhamento médico e psicológico.
    “Esses jovens não podem ir jamais para as ruas para trabalhar com dinheiro. Várias pesquisas já comprovaram que esse tipo de tratamento não funciona, porque as instituições obrigam as pessoas a seguirem uma determinada religião que muitas vezes não é a que eles seguem”, afirma o superintendente.
    Segundo ele, o Estado abre todo semestre o edital para que as instituições filantrópicas possam ser contratadas pelo governo. Elas precisam seguir um regulamento e ter um acompanhamento psicológico adequado.
    “Elas colocam o rótulo que não têm ajuda financeira , mas isso não é verdade. O governo paga para que esses jovens possam permanecer na instituição, eles não precisam vender nada. Agora falta interesse dessas instituições para se adequar às normas. Muitas vezes o tratamento de qualidade não resolve, imagina esse que é apenas baseado na fé. Não questiono a religião, mas que o tratamento seja de qualidade”, afirma.

  44. Boa tarde,desculpem mas n concordo com o texto do topo.
    amados o “produto”em si so é comprado para quem quer consumi lo,nada ali é obrigaçao nossa!!,eu ja ajudei e ajudaria msid e mais,so o fato destes jovens estrem indo aos onibus se prontificarem a fazer a parte deles em ajudar alguem,ajudar vidas a sairem do vicio,se exporem de forma a darem seus testemunhos..ninguem teria essa coragem,vc teria?de se expor,de dar o testemunho de vida,como sua vida era antes de Cristo,e como ela esta hj.acho extremamente equivocado sim esses comentarios a respeito de algo que a pessoa esta ali pedindo,vendendo e nao roubando,nunca vi induçaço de nada e sim um apelo,um pedido.se fosse revista de mulher pelada,bebidas,marcas novas de cigarros(amostras gratis)muita gente iria amar!!,pois é algo que interessa a sociedade,mas ajudar ao proximo muitos nao querem,principalmente quando se coloca Deus,Jesus na frente.acho que o livre arbitrio esta ai para isso,ajuda ou “compra”as balas,e outros produtinhos quem quer,quem quer apenas chupar uma balinha como eu mesmo ja fiz,e assim como de visao caridosa nada mais.se em algum momento um desses rapazes se equivocaram em falar de maneira que”afronte”,devemos relevar pois qual ser humano em seu trabalho(pois nao deixa de ser um trabalho a ser feito ali) nao se estressa?qual de voces em meio a tantas criticas nao se sentem mal?,revejam seus conceitos antes de criticar a quem quer ajudar o proximo.nao quer participar de tal trabalho,nao ajuda,nao coopera,pelo menos nao critique e n julguemos oq nao sabemos de fato a sua intençao verdadeira.creio na boa vontade deles sim,voces querem que eles sejam um poço de elegancia,bosn modos e tec?mas n se eaqueçam que muitos deles se esforçam p um bm posicionamento perante a sociedade hoje,pois muitos ja foram marginais,traficantes e viciados em geral,todos que querem merecem uma chance.vamos ser menos criticos e insensiveis e vamos ver mais as coisas de forma humana.

  45. Fico impressionada com a quantidade de gente ridícula que se acha moralmente certas ao criticar algo honesto ( sim honesto), pois o fato deles pedirem não significa que você tem a obrigação de dar, vai da consciência de cada pessoa. Como citado por muitos, nem todo mundo que tem um familiar dependente químico tem condições de pagar um tratamento, e falem o que quiserem, só quem passa por uma situação dessa sabe o sofrimento que é. E tem gente que tem a capacidade e a falta do que fazer de criticar o simples fato dessas pessoas pedirem ajuda, que mal há nisso? Aposto que as mesmas pessoas que criticam o fato de existirem pessoas que saem pelas ruas pedindo ajuda não criticam o governo que roubam de seus bolsos todos os dias. Bando de otários fracassados!

  46. Já fui um dos que vendia essas coisas nos ônibus em Curitiba mais sou de SP a instituição Manassés só visa lucros eu por não consegui vender me expulsaram da mesma me deixando na rua vocês que comentaram em bater nos meninos não faça isso porque vocês vão se arrepender pois a maioria trabalha armado aí o seu destino não vai ser boa vai por mim já passei por lá sei como funciona tem alguns que tentar se recuperar mais se não vende ta fora lá funciona como vendas tem megas de venda por dia se não vender passa veneno lá dentro é pior do que um presídio

  47. Um pastor que da boca dele só sai palavrão cobranças de venda gente não contribuam com essa clínica fiquei seis meses lá passei o pior momento da minha vida pior de quando estava nas drogas graças a deus hoje estou livre das drogas mais clínica nenhuma resolve basta sua opinião e acredita muito em deus só assim a gente consegue se salvar,tenho muito coisa má dessa clínica não presta só enriquecê o pastor marcos que se diz pastor mais não sabe nem a oração que deus nos deixou

    1. Eu acho que sua postagem é fraca de argumento e sem valor humano, pois a mídia também te faz comprar cigarros, cervejas, carros, roupas e etc… também usa metodologia emocional, como os homens que consomem cerveja e atraem um mulherão para eles. tanto os comerciais de propaganda, como o instituto, fazem suas respectivas propagandas, porém a mídia quer fazer dinheiro para os donos dos produtos ficarem mais ricos, o instituto faz para que possam continuar com o trabalho que era do estado, pois tratamento químico é problema de saúde pública por se tratar de uma doença e não é responsabilidade das igrejas, porém elas o fazem pois o estado é falho… portanto meu amigo, acho que a decisão é de quem vai comprar, você compra cigarro se quiser e o kit do instituto se quiser também! faça uma campanha diga não as drogas, diga não ao cigarro que talvez você fume, diga não a propaganda tendenciosa nas tvs e diga não a quem não faz nada para melhorar o mundo mas critica quem faz! … é minha opinião!

  48. Texto ridiculo e super egoista.
    É preciso ter além de força de vontade pra ir a luta contra o vício, vender balinhas no coletivo.
    É uma luta diária pela libertação do maior mal do século.
    Acorda pra vida hegocentrico!

  49. Ainda estou no ônibus e acabou de entrar um homem realizando o mesmo “trabalho”.
    Não acredito nele pq ele se diz convertido a Cristo e diz que a instituição é evangélica. Alguém está mentindo: ou ele ou a instituição.
    Uma pessoa verdadeiramente convertida jamais precisará pedir dinheiro. Ela vai se esforçar, trabalhar e o Senhor Jesus vai lhe ajudar.
    A instituição, a mesma coisa: recolheria dinheiro de dízimos e ofertas de membros.
    Esse comportamento é anti-bíblico; incompatível com a Palavra de Deus.
    O rei Davi certa vez disse: ” fui jovem e hoje sou velho mas nunca vi o justo desamparado e nem a sua descendência mendigar o pão.” Salmos 37:25

    1. Devo dizer, Geremias que seu comentário é infundado. Justamente por conta do serviço nos onibus, os Manassés nao passam fome, nao mendigam o pao.
      Vamos ser menos egoistas amigo? A rosa gigante gira.

  50. Essa reportagem está totalmente errada vocês não sabem como funciona a vida de um dependente químico e tal vocês sabem se a instituição recebe alguma ajuda ?? Essa forma de ônibus e uma forma que foi colocada por Deus de recuperar muitas pessoas das drogas. Obs: Os dependentes clínicos não pagam nada para estarem na clínica alimentação, hospedagem, absolutamente nada. Apenas ajudam a clínica nesse trabalho no ônibus.

  51. Que postagem infeliz e tendenciosa. Opressora e intolerante… quem sabe toda a sua insatisfação não seja apenas um incômodo com a forma humilde e explícita através da qual essas pessoas se organizaram em torno de um problema tão grave? Se vc está realmente incomodado, o que deveria fazer é se juntar a eles e ajudá-los a serem mais assertivos. Agora, se for apenas porque isso incomodou o silêncio da sua viagem… acho q vc precisa rever seus conceitos ou comprar um carro. O mundo é muito maior que sua caixa com expressões polidas para validar argumentos inconsistentes.

    Desejo pra vc tudo de bom. Nada pessoal, apenas deixo essa crítica um pouco dura, mas com boas intenções.

  52. Caro amigo, André.
    Espero que um dia um parente/amigo/FILHO (quem sabe) precise do auxilio de uma clinica de recuperacao e que vc tenha os 2 salarios minimos -em media, que estas cobram pra familia de um interno. Caso contrario, caso vc assim como 90% da populacao brasileira nao tenha este dinheiro, seu parente/amigo/FILHO terá que fazer o mesmo trabalho que um desses Manassés que vc tanto julga. E tomara, que ele encontre MUITAS pessoas como vc num onibus pra nao doarem um unico real se quer.
    Ah, antes que vc assim como uma anta ai acima, diga que isto nao é trabalho, experimente pegar onibus lotado o dia inteiro pra vender algo.
    Gostaria de citar aqui, um senhor (PROFESSOR DE PORTUGUES, INGLES E MATEMATICA) concursado do estado do Rio de Janeiro que esta a 3 meses sem receber do governo e que tem tirado o sustento de sua familia fazendo o mesmo trabalho que o referido Manasses. Vendendo bala no onibus nos horario em que nao esta nas salas de aula.
    Queira Deus, que vc abra os olhos e deixe de ser este ser (des)humano egoísta. Abraço!

  53. bom dia meus amigos marcio rocha quem vos fala toda instituçao precisa de verba para se manter viva se ficarmos julgado elas as mesmas vao sumir desaparecer do mapa como diz o ditado se voce nao quer ajudar ou tentar melhorar isso que e o nosso maior problema tudo bem pelomenos na atrapalha se tivessemos uma manasses em cada esquina e salvassemos um dependente quimico por mes no final de 12 meses nao teriamos drogados nem traficantes isto e fato voce nao quer comprar caneta va ate uma instituiçao desta e de su ajuda direto ao representante da mesma tenho certeza que esta ajuda chegara a uma pessoa que precisa ate mais fique na paz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *