Pular para o conteúdo principal

Entenda a diferença entre hub, switch, bridge e roteador

Atualmente, é comum encontrarmos, nos fóruns da internet, várias questões relacionadas a equipamentos de rede, em geral fornecidos pelas operadoras. Uma das perguntas mais comuns é "como colocar o modem tal em modo bridge". Quem faz essas perguntas, no entanto, em geral desconhece alguns conceitos básicos de redes de computadores.



O fato é que, hoje, são comuns, no mercado doméstico, equipamentos chamados de all in one, que concentram, em um único dispositivo, as funções de modem, de roteador, de switch e de ponto de acesso wireless, entre outras. No entanto, para tirar o máximo proveito de sua rede, é necessário entender para que cada coisa serve e como elas atuam.


Hub. fonte: https://www.palpitedigital.com/wp-content/uploads/2009/08/hub-e1442605954417.jpg


O hub é, talvez, o dispositivo mais antigo ainda em utilização. Seu nome significa concentrador e esta é a sua função: ele centraliza as conexões de todos os equipamentos de rede. Estes dispositivos operam na camada física do modelo OSI, ou seja, ao receber uma sequência de dados de um computador, ele a transmite para todos os outros que estejam conectados a ele. Em redes pequenas, isso não chega a ser um problema, mas em ambientes com vários computadores, pode se traduzir em lentidão.


Os hubs podem ser passivos, caso em que eles apenas retransmitem o sinal que recebem para todas as estações, ou ativos, que realizam as mesmas funções, mas conseguem amplificar o sinal de rede. No caso de se utilizar um hub passivo, há de se atentar para os limites físicos dos cabos de rede, que passam a perder o sinal após 100 metros.


Switch. Fonte: https://s.glbimg.com/po/tt/f/original/2013/05/13/switch.jpg


O switch, por sua vez, é também chamado de hub inteligente, pois realiza as mesmas funções de um hub, mas com o diferencial de que ele consegue "aprender" para onde deve enviar as informações.


Funciona assim: se um computador A quer enviar informação para o computador B, um hub comum vai enviar essa informação para todos os computadores da rede; com isso, nenhum computador vai conseguir se comunicar com o outro enquanto B não receber a informação de A. Já um switch, da primeira vez que precisar enviar essa informação, agirá da mesma forma que um hub comum, mas uma vez que consiga entregar a informação de A para B, vai gravar em uma lista interna em quais portas estão conectados A e B, abrindo um canal de comunicação exclusivo entre esses dois equipamentos quando os mesmos quiserem trocar novas informações. Desta forma, mais equipamentos poderão transmitir dados ao mesmo tempo, tornando a rede mais rápida.


Bridge. Fonte: http://www.ictlounge.com/Images/network_bridge.gif


Uma bridge é um equipamento que segmenta a rede em duas partes, com os objetivos de melhorar a segurança ou o tráfego de rede. Em relação à segurança, a bridge pode permitir que as informações vindas de determinados equipamentos trafeguem apenas de um lado da "ponte", restringindo acesso a dados desconhecidos. Já em relação ao tráfego de rede, a bridge pode verificar os endereços de origem e de destino, comparando-os com uma tabela interna, e repassar os dados destinados à outra parte da rede.


Roteador. Fonte: https://imgnzn-a.akamaized.net/2012/9/materias/305092785941.jpg?w=700&h=393&mode=crop


Já os roteadores permitem que os dados possam trafegar entre duas redes distintas. Por exemplo: ele poderia interligar, em uma empresa, a rede do setor de contabilidade com a rede da gerência. Além disso, ele também pode controlar o caminho mais curto ou de melhor desempenho entre os equipamentos, baseado no número de roteadores em cada caminho, a fim de garantir que a informação trafegue da forma mais rápida possível.


Então a diferença entre modo router e modo bridge nos equipamentos das operadoras se baseia na definição desses equipamentos. Quando alguém configura a sua rede em modo router, o equipamento da operadora faz a ligação entre duas redes distintas: a rede de equipamentos da sua casa (que, em geral, possui ip 192.168, 172.16 ou 10) e a Internet, que é a rede mundial de computadores. Já quando o usuário configura seu equipamento em modo bridge, seu equipamento fica conectado diretamente à Internet, recebendo inclusive um IP válido. Em outras palavras, há uma rede só.


Embora usuários avançados e especialistas em rede prefiram o modo bridge, o mesmo exige mais equipamentos do usuário. Geralmente, estas pessoas colocam o modem da operadora em bridge e o conectam a um roteador, que terá a função de separar as duas redes e de fornecer endereços IP aos equipamentos. Também é possível conectar um computador diretamente ao equipamento em bridge, nele fazendo a autenticação e instalando serviços necessários, como um servidor DHCP.


Fonte: VASCONCELOS, Leandro. Fundamentos de redes. Editora Terra, 1ª edição, 2003. Págs: 90-103.

Comentários

  1. Eu acho essas definições muito confusas.
    O que entendo de redes é só pelo pouco que vejo na prática. Mas mesmo assim considero um erro essa definição:
    "Quando alguém configura a sua rede em modo router, o equipamento da operadora faz a ligação entre duas redes distintas: a rede de equipamentos da sua casa (que, em geral, possui ip 192.168, 172.16 ou 10) e a Internet, que é a rede mundial de computadores. Já quando o usuário configura seu equipamento em modo bridge, seu equipamento fica conectado diretamente à Internet, recebendo inclusive um IP válido. "

    Não é preciso haver rede de equipamentos em casa pra que um dispositivo esteja em router. Um modem(ou outro termo que achem adequado) configurado dessa forma, servindo exclusivamente a um desktop doméstico, tem o objetivo de autenticar o usuário na operadora. Sem depender do computador.
    Já na mesma situação, porém em modo bridge, é o computador que autentica. Em router ou bridge, haverá conexão com a internet, o que implica dizer que o IP externo é válido.

    ResponderExcluir
  2. Amigo, se você acha as definições confusas, cabe a você estudar mais para entendê-las. Na verdade, foi por causa desse pouco entendimento que você causou essa confusão, ao afirmar que "Não é preciso haver rede de equipamentos em casa pra que um dispositivo esteja em router". Entendo que você quis dizer que podemos ligar um único computador a um router mas, mesmo assim, esse único computador seria considerado parte de uma rede. Pode ver que, por exemplo, o router tem endereço 192.168.1.1 e o computador, 192.168.1.2. Desta forma, há uma rede com dois equipamentos: o próprio router e o computador.

    De fato, o IP externo sempre é válido, exceto em algumas operadoras via rádio, mas o ip interno, no caso do router, não. Aí está a função deste dispositivo: ele interliga os pacotes que vão da sua rede interna para a rede internet.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como acessar configurações avançadas no Sagemcom F@st 2704N

NOVO TUTORIAL: GUIA DEFINITIVO DAS CONFIGURAÇÕES AVANÇADAS DO SAGEMCOM F@ST 2704N!
Atualização 23/01/2015: Alguns problemas apontados e descobertos nesse modem:
1. Alguns usuários relatam dificuldade em salvar alterações na configuração ADSL;
2. Não sei como acessar os logs do modem; mesmo habilitando, eles não aparecem;
3. Se você trocar o DNS do modem, ele voltará ao da Oi ao ser reiniciado;
4. Estou enfrentando alguns problemas sérios de lentidão. Não sei se isso é relacionado ao modem ou a algum dispositivo na minha rede interna.
-----
Os modens da marca Sagemcom estão se tornando muito populares no Brasil, não, quiçá, por sua qualidade, mas porque eles são os atuais queridinhos das operadoras: quando você assina um plano ADSL, geralmente a operadora envia um modem wireless para sua casa a fim de que você possa navegar sem precisar ter gastos extras com esse equipamento. É claro que os equipamentos fornecidos pelas operadoras são básicos, mas saciam as necessidades dos usuários comuns - …

O Guia Definitivo das configurações avançadas no Sagemcom F@st 2704N

Há alguns meses, eu contei minha experiência com o Sagemcom F@st 2704N e tenho recebido diversos comentários sobre suas configurações avançadas. Agora que minhas aulas na faculdade estão acabando, resolvi reservar um tempinho para explorar melhor esse modem que, diga-se de passagem, é muito bom.