Pular para o conteúdo principal

Estamos em uma nova casa!

Olá, queridos! Hoje, o blog se muda de casa mais uma vez! Para dar fim aos problemas de falta de banda e de lentidão, estamos agora em uma hospedagem profissional: o OpenShift! E, de quebra, temos segurança SSL!



Para que todos entendam, ano passado meu grande amigo Thales me ofereceu um espaço em sua revenda em uma famosa empresa de hosting nacional para hospedar meu site gratuitamente, o que reduziu drasticamente meus custos com hospedagem, visto que, agora, eu apenas precisaria pagar o domínio. No entanto, rapidamente descobrimos que aquela hospedagem tinha seus defeitos: lentidão e praticamente a última semana do mês offline devido ao esgotamento da banda.


A configuração do CloudFlare reduziu drasticamente o consumo de banda, devido ao seu sistema de cache e, por um tempo, tudo funcionou às mil maravilhas, com o Thales, inclusive, colocando o CF nos sites de seus clientes. Mas os problemas voltaram e, agora que ele está com um projeto grande, avisou que vai descontinuar a revenda que usava até então.


Mulher Red Hat.


Foi a chance que eu tive de testar o OpenShift, a nuvem de serviços da Red Hat, maior empresa de software open source do planeta. Na verdade, eu já havia testado antes, via rhc, mas a tentativa de transferir minha instalação do WordPress foi um fracasso. Dessa vez, no entanto, fiz uma nova instalação do WordPress via interface web. Foi tudo tranquilo, inclusive a importação dos posts e das mídias.


O problema surgiu na hora de configurar meu domínio para redirecionar para a url da rhcloud. Nosso "eficiente" registro.br não permite a edição de "naked cnames", o que obriga a colocação do www. Mesmo tendo feito tudo direitinho, o site ficou fora do ar praticamente a tarde inteira.


Foi então que decidi voltar a usar o CloudFlare, seguindo as dicas desse tutorial. Felizmente, no final da tarde, consegui acertar as configurações e o site voltou ao ar.


SSL quebrado. Fonte: https://staff.studentlife.umich.edu/files/migroups/field/image/sha.jpg


No entanto, a barra de endereços mostrava o aviso de que o certificado SSL estava quebrado. Logo entendi o motivo: o SSL que veio "de brinde" foi autorizado para todos os sites hospedados como subdomínios de .rhcloud.com; como eu havia configurado um outro domínio, a autenticidade daquele SSL não pôde ser reconhecida.


A solução foi acionar o SSL Universal do CloudFlare em modo Full, para se livrar daquela mensagem. Minha maior preocupação era com alguns programas de monetização que utilizo, os quais ainda insistem em não usar conexões seguras. No entanto, graças ao plugin Wordpress HTTPS, que eu até então desconhecia, consegui configurar corretamente a exibição desses itens.


Em resumo, com essa migração, nós:




  • Ganhamos um www na URL;

  • Perdemos o /artigos, que está sendo redirecionado, via CloudFlare, para a raiz do site;

  • E ganhamos um acesso mais seguro, algo indispensável em 2016!


Estou muito feliz por ter conseguido fazer isso! Sinto, inclusive, que a velocidade de upload do site está maior e que ele, como um todo, está bem mais rápido!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como acessar configurações avançadas no Sagemcom F@st 2704N

NOVO TUTORIAL: GUIA DEFINITIVO DAS CONFIGURAÇÕES AVANÇADAS DO SAGEMCOM F@ST 2704N!
Atualização 23/01/2015: Alguns problemas apontados e descobertos nesse modem:
1. Alguns usuários relatam dificuldade em salvar alterações na configuração ADSL;
2. Não sei como acessar os logs do modem; mesmo habilitando, eles não aparecem;
3. Se você trocar o DNS do modem, ele voltará ao da Oi ao ser reiniciado;
4. Estou enfrentando alguns problemas sérios de lentidão. Não sei se isso é relacionado ao modem ou a algum dispositivo na minha rede interna.
-----
Os modens da marca Sagemcom estão se tornando muito populares no Brasil, não, quiçá, por sua qualidade, mas porque eles são os atuais queridinhos das operadoras: quando você assina um plano ADSL, geralmente a operadora envia um modem wireless para sua casa a fim de que você possa navegar sem precisar ter gastos extras com esse equipamento. É claro que os equipamentos fornecidos pelas operadoras são básicos, mas saciam as necessidades dos usuários comuns - …

O Guia Definitivo das configurações avançadas no Sagemcom F@st 2704N

Há alguns meses, eu contei minha experiência com o Sagemcom F@st 2704N e tenho recebido diversos comentários sobre suas configurações avançadas. Agora que minhas aulas na faculdade estão acabando, resolvi reservar um tempinho para explorar melhor esse modem que, diga-se de passagem, é muito bom.