Pular para o conteúdo principal

A verdade sobre a Mariana's Web

Atualmente, está havendo um verdadeiro frisson em torno da chamada Deep Web. Muito desse barulho, no entanto, é devido a sites, programas de televisão e canais do YouTube sensacionalistas que, apesar de terem uma boa intenção, acabam divulgando informações erradas ou imprecisas, atrapalhando o verdadeiro entendimento dessa parte da internet.



Um dos principais equívocos  se dá pela crença de que a web seria dividida em camadas e que apenas algumas estão acessíveis para a população em geral. A imagem abaixo ilustra esse conceito:


Supostas camadas da Deep Web. Fonte: https://media.marketwire.com/attachments/201409/273029_DeepWeb.jpg


De acordo com essa crença. a web visível responderia por apenas 4% de todo o conteúdo disponível e a maior parte deste estaria em camadas ocultas. Segundo alguns sites - alguns bem renomados, por sinal - as camadas mais profundas apenas poderiam ser acessadas através de programas específicos, como "closed shell systems" ou “Polymeric Falcighol Derivation”.


Uma (des) informação dessas aliada à natural curiosidade e senso de desafio de garotos de 12 a 15 anos gera muita especulação, mas a verdade é que nada disso existe. Termos como “Polymeric Falcighol Derivation” simplesmente não fazem sentido técnico algum e são apenas um monte de palavras complicadas que não possuem significado.


Talvez a maior parte da confusão tenha se dado pelo fato de que o Tor utiliza várias camadas para fazer seu roteamento. Por isso, seu logotipo é uma cebola, caule que possui várias camadas. Mas essas camadas são apenas para roteamento, não para acessar sites ocultos.


Seria ridículo pensar em um procedimento em que o usuário deveria executar um programa para acessar uma camada e, depois que esse programa estivesse ativo, abrir outro e, depois, mais um e assim por diante. O que lhe impediria de abrir o último programa diretamente?


Outro ponto altamente duvidável seria o que a web visível responderia apenas por 4% do conteúdo total. Basta imaginar a quantidade de gente necessária para produzir os outros 96%. Provavelmente a maior parte da população da Terra estaria ocupada para fazer qualquer outra coisa.



Mas então, o que existe?


Se a deep web não possui camadas, o que ela possui? A resposta é simples: redes!


Redes de computador. Fonte: http://www.russbellew.com/siteimages/computernetwork_iStock_000004660040XSmall-2.jpg


Na verdade, a internet é composta de várias redes diferentes interconectadas e nem todas essas redes estão acessíveis ao público. Uma empresa, por exemplo, pode ter, em seu prédio, um servidor web com um sistema de CRM acessível apenas aos empregados daquela firma enquanto eles estiverem lá. No momento em que eles estiverem descansando em suas casas, eles não conseguirão mais ter acesso a esse sistema corporativo. Esse CRM, também, não será indexado pelo Google (nem por qualquer outro buscador) pelo simples fato de não ser acessível do ambiente externo.


A sua própria casa é um exemplo de "deep web". Você provavelmente deve ter um roteador. Esse aparelho serve para conectar duas redes distintas, no caso a rede dos computadores da sua casa e a rede chamada de internet. Via de regra, o que você coloca nos seus computadores não é acessível do lado externo (a menos que você configure seus equipamentos para isso).


Página de login. Fonte: http://favbulous.com/wp-content/uploads/uploaded/login/2.jpg


Mas e quanto àqueles sites que só podem ser acessados através de senhas ou de convites? Eles não estariam em uma camada mais profunda da internet? Claro que não! O simples fato de alguém criar uma página que só pode ser acessada por convite ou por usuário e senha não a torna mais ou menos profunda: ela está no mesmo nível das demais. Se fosse assim, o Facebook seria uma página da deep web, pois é necessário ter uma conta lá para ver a maior parte de seu conteúdo.



Conclusão


Portanto, a história de que a internet é dividida em camadas é apenas uma lenda espalhada por sites e por canais sensacionalistas que tem por objetivo conseguir audiência atiçando a curiosidade das pessoas mais novas. Ao invés de dar ouvidos a esse tipo de material, informe-se em fontes confiáveis e sempre pesquise antes de tirar alguma conclusão.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como acessar configurações avançadas no Sagemcom F@st 2704N

NOVO TUTORIAL: GUIA DEFINITIVO DAS CONFIGURAÇÕES AVANÇADAS DO SAGEMCOM F@ST 2704N!
Atualização 23/01/2015: Alguns problemas apontados e descobertos nesse modem:
1. Alguns usuários relatam dificuldade em salvar alterações na configuração ADSL;
2. Não sei como acessar os logs do modem; mesmo habilitando, eles não aparecem;
3. Se você trocar o DNS do modem, ele voltará ao da Oi ao ser reiniciado;
4. Estou enfrentando alguns problemas sérios de lentidão. Não sei se isso é relacionado ao modem ou a algum dispositivo na minha rede interna.
-----
Os modens da marca Sagemcom estão se tornando muito populares no Brasil, não, quiçá, por sua qualidade, mas porque eles são os atuais queridinhos das operadoras: quando você assina um plano ADSL, geralmente a operadora envia um modem wireless para sua casa a fim de que você possa navegar sem precisar ter gastos extras com esse equipamento. É claro que os equipamentos fornecidos pelas operadoras são básicos, mas saciam as necessidades dos usuários comuns - …

O Guia Definitivo das configurações avançadas no Sagemcom F@st 2704N

Há alguns meses, eu contei minha experiência com o Sagemcom F@st 2704N e tenho recebido diversos comentários sobre suas configurações avançadas. Agora que minhas aulas na faculdade estão acabando, resolvi reservar um tempinho para explorar melhor esse modem que, diga-se de passagem, é muito bom.