Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2015

Feliz 2016!

A todos os amantes de Matemática e de Tecnologia, um feliz 2016 e que o novo ano seja melhor do que está se encerrando!

Imagem via Twitter.

Carta aberta à FSF: revogue as licenças GPL dos desenvolvedores do RedStar OS

Atualização 1: a Carta Aberta foi publicada no blog BR-Linux. Aproveitei essa oportunidade (ter uma segunda fonte) e enviei uma versão em inglês do documento para os e-mails gnu[at]gnu.org, licensing[at]fsf.org e rms[at]gnu.org, mencionando que o mesmo havia sido mencionado em outros sites brasileiros.
Prezado corpo diretor da Free Software Foundation e das organizações irmãs espalhadas pelo mundo,
Esta é uma carta aberta que tem por objetivo solicitar que vocês revoguem unilateralmente toda e qualquer licença GPL, incluindo aí LGPL e AGPL, de todas as versões, dos desenvolvedores do RedStar OS.

Usando o Android sem as aplicações do Google

Este artigo não representa mais minha visão sobre o software livre e está sendo mantido aqui apenas por razões históricas. Para minha visão atual, veja este artigo.
Neste ano, fui criticado por alguns usuários de Software Livre pela aparente contradição de eu defender o SL mas usar um telefone inteligente com Android que, apesar de ser livre, vem carregado de aplicativos proprietários. Apesar de reconhecer as críticas, explico  que tinha um bom motivo para manter a versão de fábrica do sistema: comprei meu telefone - um Moto G de segunda geração - em Outubro de 2014 e, todo esse tempo, ele ainda estava na garantia, a qual acabou no final de Outubro de 2015. Resolvi manter o sistema intacto pois o produto, na época, custou pouco mais de R$ 600,00 e, ao contrário de certas pessoas, dou valor àquilo que conquisto.

A campanha "Um mundo sem Linux" está errada?

Fiquei pensando sobre esse assunto depois que um proeminente ativista do software livre nacional postou um texto em seu site convidando a comunidade a rejeitar a campanha A world without Linux, da Linux Foundation. Na cabeça dele, essa campanha tem por objetivo fazer os usuários se esquecerem do verdadeiro software livre. Ele convida as pessoas a rejeitarem veementemente não apenas essa campanha, mas também o nome Linux, referindo-se ao sistema operacional livre simplesmente como GNU.

Sobre o YouTuber que quebrou sua placa de 100 mil inscritos

Hoje pela manhã, eu soube de uma polêmica no site YouTube, onde vários produtores daquele sistema estão indignados por causa de um usuário que quebrou sua placa de 100.000 inscritos para ver o que tinha dentro.

Como identificar uma distribuição GNU/Linux?

Se você obteve acesso a um servidor remoto rodando GNU/Linux, identificar a distribuição em uso pode não ser uma tarefa simples. Essa informação pode saltar aos olhos no momento do login ou estar bem escondida. Determinar corretamente a distribuição é algo fundamental para se trabalhar corretamente, utilizando os recursos diponíveis. Abaixo, vamos ver algumas dicas para tentar determinar qual sistema está sendo usado.

Como os desenvolvedores devem lidar com a pirataria de software?

Se você desenvolve ou pensa em desenvolver algum software proprietário e vendê-lo para clientes, a pirataria é um dos fatores que você deve considerar. Ela se traduz como "a prática de reproduzir, distribuir, ou mesmo vender produtos sem autorização dos proprietários de um produto ou de uma marca" (POZZEBON, 2015, disponível em https://www.oficinadanet.com.br/post/13448-o-que-e-pirataria, acesso realizado em 10/12/2015) e que está sujeita a até quatro anos de detenção e multa.

Não utilize system("pause");

Esse é um assunto sobre o qual eu tinha vontade de escrever e, agora que vi um post no GdH sobre ele, lembrei de fazer esse alerta aos novos programadores, que estão ou entrando na faculdade ou aprendendo C ou C++ a partir de uma apostila baixada na internet.
POR FAVOR, NÃO UTILIZEM system("pause"); EM SEU PROGRAMAS.

Symbolab: site mostra resolução passo a passo de problemas matemáticos

Ontem eu postei um artigo perguntando por que as calculadoras comuns não haviam evoluído. Nessa matéria, eu enumerei alguns dos pontos que considero fundamentais para uma calculadora do Século XXI (que ainda não existe). Dentre eles, podemos citar a capacidade de exibir a solução passo a passo de um problema, e não apenas a resposta final.

Por que as calculadoras não evoluíram?

Acompanhe qualquer site de tecnologia e você verá que a maioria dos redatores e dos comentaristas em geral é viciada em inovação. Eles facilmente rejeitam, de forma veemente, tudo aquilo que já existe há algum tempo ou que pode ser considerado tradicional. Se dependesse desse pessoal, televisores, rádios e linhas telefônicas teriam deixado de existir há muito tempo, apesar de haver uma considerável parcela da população que ainda utilize esses serviços.