Pular para o conteúdo principal

Você sabe usar uma calculadora?

A utilização da calculadora nas aulas de Matemática é um assunto polêmico. De um lado, professores dos mais tradicionais argumentando que a mesma inibe o raciocínio e que deveria ser exterminada da face da Terra e, de outro, figuras como Antônio Bigode que não apenas defendem o seu uso mas acreditam que a mesma possa vir a ser uma respeitável fonte de atividades didáticas.


Embora elas existam em diversas formas, cores e tamanhos, pouca gente sabe, realmente, usá-la e extrair da mesma todo o seu potencial. É claro que você já deve ter utilizado uma calculadora básica para realizar uma conta simples, mas já se perguntou para que servem todas aquelas teclas como M+, M-, MRC e CE? Se essa é a sua curiosidade, continue lendo esse post.




Tipos de calculadora


Existem vários tipos de calculadora, cada qual adequado para uma determinada aplicação (e um determinado bolso). Dentre os principais, podemos citar:


Calculadora básicaCalculadora básica: é aquela que todos conhecem. Geralmente possui oito dígitos e nos possibilita realizar operações fundamentais, como adição, subtração, multiplicação e divisão, além de porcentagem e raízes quadradas. São baratas, de fácil aquisição, algumas apitam (o que as tornam extremamente irritantes) e estão presentem em vários sistemas operacionais, como Linux, Android e Windows. São indicadas para a realização de contas rápidas e simples.


Calculadora científicaCalculadora científica: possuem mais funções do que as básicas, como trigonometria, logaritmos e funções inversas. Dependendo do modelo, podem ter recursos adicionais, como cálculos estatísticos e conversão de bases numéricas. A maioria possui um sistema de álgebra que permite ao usuário escrever expressões numéricas - inclusive com o uso de parênteses - da mesma forma que elas são escritas na lousa e alguns modelos mais atuais podem representar frações e radicais. Indicada para estudantes do Ensino Médio, do Ensino Técnico e também para universitários e aqueles que precisam realizar alguma conta mais elaborada.


Calculadora financeira HP 12CCalculadora financeira: é um tipo especial de calculadora desenvolvida especificamente para tratar com finanças, sendo o modelo mais conhecido a famosa HP 12C. Indispensável para contadores, administradores de empresas e todo mundo que lida com dinheiro.


Calculadora gráfica: é um tipo de calculadora científica que pode desenhar (plotar) gráficos de funções, de curvas e de superfícies. Estão entre as mais caras e são indicados para engenheiros, para matemáticos e para todo mundo que precise fazer algo a mais com derivadas e integrais. Um modelo bem recente e popular é a HP 50G. Algumas também permitem que o usuário carregue pequenos programas escritos por ele em uma linguagem de programação própria e, por isso, elas também são chamadas de programáveis.Calculadora gráfica HP 50G


CAS: os Sistemas de Álgebra Computacional são softwares desenvolvidos para a realização de cálculos. Eles possuem várias vantagens sobre as calculadoras gráficas, como por exemplo a capacidade de gozar da velocidade e do poder de processamento dos computadores atuais e da resolução de suas telas, que é bem maior do que a de um visor. Existem vários disponíveis - alguns pagos e outros gratuitos - e cada um possui um enfoque diferente: o Mathematica é voltado à Álgebra, o MatLab, às matrizes, o Scilab, ao Cálculo Nunérico e assim por diante.



As limitações de uma calculadora


Por mais avançada e moderna que seja uma calculadora, ela - assim como os computadores - sofrerá de limitações naturais inerentes à sua natureza eletrônica. A principal delas é que uma calculadora é uma máquina finita, isto é, ela é incapaz de trabalhar com números irracionais ou que tenham uma expressão decimal infinita. Se você, por exemplo, pedir que uma calculadora some a dízima periódica 0,999... com a dízima 0,111..., o máximo que ela conseguirá fazer é uma aproximação, somando o número racional 0,999999 com 0,111111. O resultado não será o real - mas estará bem perto dele. Cabe ao usuário determinar a precisão necessária.



As memórias da calculadora


Se você já usou uma calculadora básica, sabe que ela possui, no mínimo, três teclas com a letra M. Você já deve ter deduzido que elas se referem à memória, mas como - e quando - devemos utilizá-las?


As memórias na calculadora básica devem ser utilizadas sempre que for necessário realizar um cálculo um pouco mais complexo. Por exemplo, tente fazer, em sua calculadora, a operação 12 - 2 X 5. Nós sabemos que, pela procedência das operações, a multiplicação deve ser realizada antes da soma e, então, o resultado esperado é 2. No entanto, se você digitar essa conta na sua calculadora, provavelmente obterá 50.


Isso ocorre porque a calculadora é "burra", no sentido de que ela só faz aquilo que nós a mandamos fazer. No momento em que você digita 12 - 2, a calculadora entente que deve subtrair 2 unidades de 12, obtendo 10 e, quando termina com X 5, ela entende que deve multiplicar o resultado anterior - 10 - por 5.


Nas calculadoras científicas, é possível resolver esse problema com o uso de parênteses mas, nas básicas, não existe esse recurso. Devemos, então, recorrer às memórias. Mas como usá-las?


A calculadora básica possui duas memórias: a aditiva - M+ - e a subtrativa - M-. Quando ligamos a calculadora, o valor armazenado na memória é 0. Ao pressionarmos M+, a calculadora irá somar o valor que está sendo exibido no visor ao valor armazenado na memória e. ao pressionarmos M-, irá subtraí-lo.


A tecla MRC serve para exibir o valor que está atualmente na memória. No entanto, se você pressioná-la duas vezes, ela irá apagar seu conteúdo.


Assim, voltemos ao exemplo de fazer 12 - 2 X 5. Sabemos que a multiplicação deve ser realizada primeiro, assim vamos ligar a calculadora e digitar 2 X 5. O visor exibirá o resultado 10. Pressione a tecla M+ para armazenar esse valor na memória. Agora, pressione On/C para limpar o visor. Para realizar a última parte da operação - diminuir 2 X 5 de 12, digite 12, pressione o botão - e aperte MRC para recuperar o valor da memória. Pressione = e aí está o resultado esperado.



As teclas C e CE


Essas teclas costumam causar confusão, mas é bem simples entendê-las. Ambas servem para corrigir dados errados, mas com uma diferença: a tecla CE apaga apenas o último número que você digitou e a tecla C - geralmente junta ao On - apaga a operação inteira.


Por exemplo, digamos que você queira fazer 2 X 5, mas digitou 4. Basta pressionar CE e corrigir a entrada.



O operador de função constante


A tecla = não serve apenas para exibir o resultado das operações: ela também é um operador de função constante, pois repete a última operação feita a cada vez que for pressionada.


Como exemplo, suponha que você queira fazer 2 + 3 + 3 + 3 + ... Ao invés de ficar digitando uma infinidade de + 3, simplesmente faça a primeira operação e fique apertando = para ver o resultado da operação.



Finalizando


Como vimos, apesar de ser um instrumento simples, a calculadora básica possui várias sutilezas que a tornam útil e interessante, permitindo utilizá-la para bem além daquilo que (você pensa que) ela foi projetada.

Comentários

  1. Daniel Nunes de Oliveira8 de maio de 2014 23:54

    Gostei, foi simples e fácil de entender
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  2. Ola, muito obrigada pela explicação. Foi extremamente util e facil de compreender. Nao sabia que uma calculadora basica pode ter funçoes tão interessantes e que eu nao tinha ideia.

    Paz!

    ResponderExcluir
  3. Eloisa Rangel Lemos7 de dezembro de 2014 15:17

    Bom dia , nao sabia que uma calculadora teria tantas funcoes aproveitaveis, gostei legal. Agora vou aproveita bem mais o meu tempo com a mesma. Obrigado.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, até que enfim algue posta coisas úteis; pode parecer coisa banal, mas assim como eu, muita gente não conhecia e tampouco sabia ttas funções e opera-las - OBRIGADÃO pela explicação. Muito útil mesmo. PARABÉNS!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns André.É sempre bom ter quem trabalhe um assunto melhor e ajude a muitos entenderem.

    Eu utilizo esta calculadora para controlar sistemas automáticos e ROBÔS.

    http://www.roboticatulio.com/

    ResponderExcluir
  6. Eu estava com dúvida sobre os botões "CE" e "C", hehe.

    Obrigado !

    ResponderExcluir
  7. Nossa muito bom o texto, bem simples de entender e completo. Eu nunca soube de várias funções, como o CE e até hoje não sei fazer um cálculo de raiz quadrada, acho que devemos culpar nossos professores de matemática pela proibição da calculadora em algumas aulas.
    Enfim, parabéns pela explicação.

    ResponderExcluir
  8. ELIEZER AlVES VIEIRA28 de setembro de 2015 09:45

    gostei,porém queria aprofundar mais, por exemplo essas letras que estão no teclado numérico da calculadora são abreviações de algumas palavras, gostaria de saber quais termos são estes e de onde se originam?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Como acessar configurações avançadas no Sagemcom F@st 2704N

NOVO TUTORIAL: GUIA DEFINITIVO DAS CONFIGURAÇÕES AVANÇADAS DO SAGEMCOM F@ST 2704N!
Atualização 23/01/2015: Alguns problemas apontados e descobertos nesse modem:
1. Alguns usuários relatam dificuldade em salvar alterações na configuração ADSL;
2. Não sei como acessar os logs do modem; mesmo habilitando, eles não aparecem;
3. Se você trocar o DNS do modem, ele voltará ao da Oi ao ser reiniciado;
4. Estou enfrentando alguns problemas sérios de lentidão. Não sei se isso é relacionado ao modem ou a algum dispositivo na minha rede interna.
-----
Os modens da marca Sagemcom estão se tornando muito populares no Brasil, não, quiçá, por sua qualidade, mas porque eles são os atuais queridinhos das operadoras: quando você assina um plano ADSL, geralmente a operadora envia um modem wireless para sua casa a fim de que você possa navegar sem precisar ter gastos extras com esse equipamento. É claro que os equipamentos fornecidos pelas operadoras são básicos, mas saciam as necessidades dos usuários comuns - …

O Guia Definitivo das configurações avançadas no Sagemcom F@st 2704N

Há alguns meses, eu contei minha experiência com o Sagemcom F@st 2704N e tenho recebido diversos comentários sobre suas configurações avançadas. Agora que minhas aulas na faculdade estão acabando, resolvi reservar um tempinho para explorar melhor esse modem que, diga-se de passagem, é muito bom.